24 agosto 2006

DE CAVALO PARA BURRO

O Astrónomo americano Clyde Tombaugh nasceu a 4 de Fevereiro de 1906 em Streator, Illinois. A sua coroa de glória ganhou-a em Fevereiro de 1930, tinha então 24 anos, quando descobriu e fotografou um corpo celeste que viria a ser o nono planeta do Sistema Solar. Seria baptizado com o nome de Plutão. A sua órbita, para lá de Neptuno, demora 248 anos a percorrer.
Quase a completar 91 anos de idade, a 17 de Janeiro de 1997, Tombaugh, morreu em Las Cruces, Novo México. A sua descoberta pouco lhe sobreviveu.
Reunida em Praga, a fina-flor da astronomia mundial, embora ainda que não a uma só voz, decidiu desclassificar Plutão. A sua insignificância, em termos de tamanho, não lhe permitia ser um planeta. Pertence agora à categoria a que já pertenciam o calhau Ceres, perdido na cintura de asteróides entre Marte e Júpiter ou o enigmático 2003UB313, um corpo celeste que “erra” pelo espaço para além da órbita de Plutão, demorando 560 anos a dar uma volta ao Sol.
As nossas criancinhas têm, agora, menos uma palavra na lenga-lenga: Mercúrio, Vénus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Neptuno!

8 comentários:

Tozé Franco disse...

Também aqui deve haver mão dos nossos governantes, para diminuitr a taxa de insuceso escolar, pois sempre é um planeta a menos para decorar.

Isadora Lis disse...

Carlos,
Tudo bem? Seu blog está D+! Seu blog é tão interessante que eu vou linká-lo no meu.

Um abraço,
Isadora Lis.

Carlos Ponte disse...

Isadora,
Obrigado pelas palavras bonitas que me dirige.
Visitá-la-ei também.
Um abraço
Carlos Ponte

Carlos Ponte disse...

Também acho Tozé! Vendo bem deve haver ali a mão do Valter. Não acha?
Um abraço,
Carlos Ponte

citadinokane disse...

Tozé,
Pegou pesado com os governantes, hein! Mas com certeza tem gente que ficou feliz, não precisa mais "decorar" o Plutão, menos um...
É lamentável a mediocridade dos nossos dias, só nos resta rezar...
Um abraço amigos,
Pedro

asn disse...

Não posso concordar!
Nã sou expert em matérias astronómicas, mas que diabo, havia lá necessidade de nos tirarem um elo da lengalenga dos planetas do sistema solar?
E agora?
Como é que eu vou, com a minha idade, alterar o ritmo Mercúrio,Vénus, Terra,Marte...?
Querem-nos baralhar, é?

Carlos Ponte disse...

Pois é caro António,
Os pequenos nunca se safam! Mesmo que sejam planetas.
Parece que vamos ter que nos habituar a dizer só oito. Mas talvez nos vá custar um pouco. Se for como o Euro que continuo a pensar em escudos terei que pensar primeiro em nove para dizer oito.
Segui, com inveja, as suas férias. Bom regresso.
Um abraço,
Carlos Ponte

Xico Rocha disse...

Do meu olhar empirico, não vejo o que possa mudar na ciência após esta modificação de status para tal corpo celeste.
Mas que o universo perde um pouco de seu romantismo, disso não tenho dúvidas.
Xico Rocha